Edital 2019

EDITAL 2019 – FUNDAÇÃO ABH

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Este edital pretende selecionar iniciativas que contribuam para o desenvolvimento local dos distritos de:

  • Capão Redondo
  • Campo Limpo
  • Jardim Ângela
  • Jardim São Luis

Localizados na zona sul da cidade de São Paulo/SP.

Buscamos iniciativas que promovam:
  • A melhoria da qualidade de vida de seus moradores
  • Ações conjuntas/colaboração entre iniciativas sociais e moradores locais
Apoiamos as seguintes linhas de atuação:
 
  • Ações afirmativas: raça, gênero e protagonismo jovem;
  • Economia criativa e solidária;
  • Arte e cultura;
  • Geração de trabalho e renda;
  • Tecnologias sociais;
  • Desenvolvimento comunitário e institucional;
  • Direitos humanos, justiça social e cidadania;
  • Comunicação comunitária e acesso às tecnologias digitais;
  • Educação afirmativa;
  • Desenvolvimento socioambiental/meio ambiente;
  • Esporte e saúde;
  • Habitação.
INSCRIÇÕES ENCERRADAS

O QUE É DESENVOLVIMENTO LOCAL:

O desenvolvimento econômico local ou simplesmente desenvolvimento local foi um conceito criado por Muhammad Yunus, vencedor do Prêmio Nobel da Paz. A ideia é que, no desenvolvimento local, os atores da região sejam protagonistas na formulação de estratégias, na tomada de decisões e na hora de colocá-las em prática. Ao promover a inclusão social e fortalecer a democracia, também se combate a pobreza.

Na prática, o conceito leva a campo cinco dimensões:

  • A inclusão social;
  • O fortalecimento e a diversificação da economia local;
  • A inovação na gestão pública;
  • A proteção ambiental e o uso racional de recursos naturais;
  • E a mobilização social.

COMO SE TRABALHA PELO DESENVOLVIMENTO LOCAL:

O processo de melhoria da qualidade de vida das pessoas, claro, não é de curto prazo. Ele precisa ocorrer de forma ampla e continua e isso leva tempo. Existe também o fato de que o conceito e as necessidades de desenvolvimento variam de

lugar para lugar, então há como se ter uma metodologia muito rígida ou paradigmas imutáveis.

Do ponto de vista da organização da sociedade, um bom começo é implantar iniciativas, nos territórios ou microrregiões, que possibilitem a participação dos cidadãos, o efetivo controle da sociedade civil sobre a gestão pública e o fortalecimento de grupos sociais antes marginalizados nas esferas de tomada de decisão.

Possibilitar o protagonismo das pessoas e dos grupos minoritários passa necessariamente pelo oferecimento de oportunidades de educação, trabalho, moradia digna e saúde. Tudo isso sem tirar desses grupos o poder de ser protagonistas no processo e fazer suas próprias escolhas.

O PAPEL DAS REDES NO DESENVOLVIMENTO LOCAL:

Nunca é demais reforçar o papel da mobilização e da organização dos atores sociais da região para o desenvolvimento local. Por meio das redes constituídas por essas pessoas, é que se articulam os recursos e as competências presentes nas comunidades, assim como ações de solidariedade local.

Por isso, é importante desenvolver ferramentas que possibilitem a comunicação desses atores (desafio muito facilitado atualmente pela tecnologia mais acessível) e a sua reunião em fóruns, grupos de trabalho e outras instâncias mobilizadoras e deliberativas.