e-Bairro conecta empreendedores, produtores e comunicadores da PerifaSul

Há décadas atrás, a rádio comunitária era basicamente a forma mais acessível que os moradores das periferias brasileiras tinham para divulgar a cultura, os comércios e produtores locais. No entanto, novas possibilidades surgiram com o avanço da internet e o surgimento de ferramentas diversas que as iniciativas souberam utilizar muito bem, como o pessoal do e-Bairro.

Juntos para somar, esse é o lema do e-Bairro, uma plataforma digital que conecta pequenos empreendedores, produtores culturais e jovens comunicadores, cujo objetivo é o desenvolvimento comunitário do Jardim São Luís, Jardim Ângela, Campo Limpo, Capão Redondo, entre outros bairros da região, bem como o aumento do capital social local.

O e-Bairro deixa claro em suas redes que valoriza o “fazer com as mãos, fazer com arte”, a “sustentabilidade” e a “criatividade do povo brasileiro” destacando assim os grandes talentos artísticos e potências culturais da periferia sul de São Paulo e contribuindo para melhorar a sociedade, gerar renda na periferia e fortalecer as novas lógicas de mercado.

Em 2020, o e-Bairro e a Fundação ABH firmaram parceria através do Edital Atuação PerifaSul, com o objetivo de implementar soluções que contribuam para o desenvolvimento do território.

Neste texto você confere na íntegra a entrevista realizada com os integrantes do e-Bairro Carla Prates, Diane Padial, Gabriel William, Luciene Rodrigues e Naiara Padial sobre a trajetória dessa iniciativa, entender como ela atua na zona sul da capital paulista e saber mais a respeito da parceria estabelecida com a Fundação ABH.

 

Leia a entrevista completa!

Quando e como surgiu o e-Bairro? Qual a motivação inicial do e-Bairro?

O e-Bairro surgiu em 2014 a partir da parceria profissional entre a psicóloga e articuladora cultural Diane Padial e a jornalista atuante na periferia Carla Prates. Ao perceber a diversidade e riqueza cultural presente na região, a princípio a ideia era formar jovens para que pudessem prestar serviços na área de comunicação aos pequenos negócios locais.

A ideia foi amadurecendo, se transformando e sendo desenvolvida com a mentoria da Fundação Dom Cabral, até chegarem a um modelo onde a economia criativa, mercado de artes e artesanatos seria o foco principal. Assim teríamos um e-commerce, uma agenda cultural com as produções do território e um blog onde assuntos variados são retratados. Para pôr tudo isso em prática precisávamos de pessoas que cuidassem da tecnologia e desenvolvimento desse e-commerce e assim Luciene Rodrigues e Gabriel Willian se juntaram a Diane e Carla e desenharam e desenvolveram a plataforma.

Mais tarde, com o lançamento do site e a necessidade de divulgá-lo, Naiara Padial se junta a esse time para cuidar da área de comunicação e redes sociais. 

 

Qual o objetivo a longo prazo da iniciativa? E a curto prazo?

A longo prazo o objetivo do e-Bairro é ampliar a área de atuação, não se resumindo mais a alguns bairros, abrangendo o estado de São Paulo e quem sabe um dia empreendedores de todo o Brasil. 

A curto prazo algumas mudanças estão sendo implementadas, como a criação de um novo site para receber um número maior de empreendedores, artesãos, artistas e escritores e para ampliar o alcance da agenda e blog.

 

Quais razões levaram a iniciativa a escolher a periferia sul de São Paulo como área de atuação?

A Periferia Sul sempre foi o território de atuação e moradia dos fundadores, mais precisamente a região do Jd. São Luís. Além disso, o envolvimento de trabalho, conhecimento do território e entrosamento com os movimentos culturais da região foram fundamentais para essa escolha.

 

Qual o impacto da iniciativa na região até o momento e na vida dos fundadores?

Acreditamos que esse é um trabalho muito necessário para os produtores culturais da região. Buscamos realizar uma curadoria de movimentos artísticos que são realizados aqui e divulgá-los na agenda cultural, assim como também trazemos outros eventos relevantes de fora do território para serem “consumidos” por quem vive aqui.

Esse intercâmbio cultural até pouco tempo era muito mais limitado, mas a explosão de eventos on-line devido à pandemia trouxe essa possibilidade de acessar conteúdos de longe e consumir o que eles têm a oferecer. É uma troca entre diferentes periferias do Brasil a fora sem sair de casa. 

A arte e cultura presentes na zona sul de São Paulo, seus valores e debates são parte de todos nós da equipe do e-Bairro e poder trabalhar com essas temáticas e fazer, pelo menos, um pouquinho por nossa comunidade é uma realização pessoal; é muito motivador e gratificante, mesmo com todos os desafios que enfrentamos para tornar isso possível.

 

De que maneira a Fundação ABH contribuiu com o e-Bairro?

A Fundação ABH e demais iniciativas do aTUAção PerifaSul chegaram para nós em um momento muito importante e decisivo, possibilitaram que todo o projeto fosse repensado, que novos objetivos fossem traçados, nos trouxeram experiências de aprendizado e amadurecimento importantíssimas com as formações do Espiral do Conhecimento e outras palestras e cursos que pudemos participar nesse período.

Além disso, através deles pudemos conhecer pessoas e coletivos da zona sul que desenvolvem trabalhos incríveis e que só vem a somar com tudo de melhor que esse território tem a oferecer. 

O apoio financeiro também foi importante, pois com a pandemia, tudo precisou ser readaptado e as oportunidades para o e-Bairro caíram bastante. Esse apoio também nos possibilitou ter uma jovem assistente que recebe uma bolsa auxílio para participar de um treinamento conosco, nos ajudando na seleção dos eventos, alimentação de informação nos sites e desenvolvimento de conteúdos que são passados aos empreendedores.

 

Quais as metas futuras da iniciativa?

Para o futuro esperamos que o e-Bairro se torne mais relevante e conhecido para que isso signifique uma amplificação das ações desse território e crescimento para nós e para nossos parceiros empreendedores e produtores culturais.

Nós da Fundação ABH agradecemos ao pessoal do e-Bairro por, além da parceria, compartilhar conosco suas conquistas, metas e expectativas para o futuro e ressaltamos que compactuamos e nos inspiramos nesse modo de pensar e fazer!

Por isso, identificar e impulsionar os talentos artísticos e a rica produção cultural da região também faz parte do projeto PerifaSul 2050, idealizado pela Fundação ABH com a participação de diversos atores locais, que enxerga o grande potencial humano existente periferia sul de São Paulo capaz de se movimentar e se unir para desenvolver o Brasil.

Por isso o e-Bairro é uma das iniciativas que a Fundação ABH apoia,  pois trabalha o desenvolvimento comunitário pelo viés da inclusão produtiva, identificando, estimulando e apoiando os grandes talentos e potências da periferia sul de São Paulo.

Assim como o e-Bairro, acreditamos que juntos somos mais fortes e que só com essa troca de experiência e vivências com atores e agentes do território é que podemos construir conhecimento e desenvolver a região de dentro para fora.

 

Deixe seu comentário

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!