Edital 2020

EDITAL 2020 - aTUAção PerifaSul

O edital aTUAção PerifaSul é um edital inovador por ter sido construído por 4 organizações: Fundação ABH, Fundação Alphaville, Instituto Jatobás e Macambira Sociocultural.

As quatro instituições decidiram unir forças, conhecimento e recursos, com o objetivo de multiplicar o alcance e o impacto de suas ações, contribuindo de forma eficiente para o desenvolvimento social da cidade, especialmente da periferia sul de São Paulo.

Os principais objetivos deste edital são:

  1. Identificar e estimular iniciativas que apresentem aspectos inovadores que contribuam para a melhoria do desenvolvimento local;
  2. Sensibilizar e inspirar atores locais para serem protagonistas no território em que vivem;
  3. Conectar atores interessados estimulando trocas de boas práticas para fortalecer o capital social do território;
  4. Fortalecer o grupo compartilhando metodologias, recursos financeiros, incentivando parcerias e atuação em rede.

O edital está dividido nas seguintes etapas:

Conheça as iniciativas selecionadas para a segunda fase:

Capão Cidadão

O projeto se baseia na manutenção e ampliação das oficinas de jiu-jitsu, reforço escolar, balé e danças urbanas auxiliando assim o desenvolvimento intelectual, físico e cultural dos atendidos. Estas oficinas contribuem para que os alunos consigam ter melhores opções durante a infância e adolescência, convivendo em um espaço seguro e tendo um maior acesso à informação, consequentemente melhorando seu desenvolvimento pessoal e da comunidade onde estão inseridos.

Coletivo Reviveno

O Coletivo Reviveno tem como objetivo revitalizar pontos viciados de lixo, tais como becos e praças, junto com grafite e reciclagem, contribuindo para a saúde local e melhorando o aspecto visual da cidade, além de profissionalizar jovens na profissão do grafite e arte educador gerando renda para comunidade. Dentro de seu trabalho também ocorre uma conscientização da população local sobre aspectos ambientais e como estes impactam a vida de todos.

Feminismo Comunitário

O Coletivo Feminismo Comunitário, localizado na comunidade do Real Parque, é voltado para o fortalecimento das mulheres periféricas que sofrem com a violência doméstica através de encontros mensais de apoio ao grupo, oficinas de yoga e dança do ventre, oficinas de percussão e saraus.

Além das oficinas, os encontros tratam, com sensibilidade, temas como: depressão, direitos da mulher, saúde da mulher, etc. e, com o suporte dos demais membros, auxilia as mulheres a elevarem sua auto-estima e correrem atrás de seus sonhos.

Karatê de Quebrada

O Karatê D’Quebrada tem como objetivo ser um escola colaborativa que esteja preparada para atender os alunos e motivá-los através do esporte. Para isso buscam criar o primeiro centro esportivo do Campo Limpo, com diversas modalidades esportivas.

Uma educação de qualidade pode criar uma sociedade e economia global mais inclusiva. Isso ajuda a melhorar vidas, expandir oportunidades econômicas e construir tolerância e compreensão. Para isso acontecer,  o Centro Esportivo atuará em 4 pilares principais: empoderamento de meninas e mulheres, educação, esporte e saúde (física e mental).

CEI Caminhar com Amor

O projeto Despertar da Consciência realizará práticas integrativas de Yoga, Meditação, Shantala e Comunicação Não Violenta para a equipe do CEI Caminhar com Amor Unidade II (parque Santo Antônio) e III (Jardim Ângela), suas crianças, jovens e respectivas famílias, abrangendo assim a comunidade.

Esses bairros têm um alto índice de homicídios e violência doméstica, fatores estes que expõem as crianças e famílias a uma condição extremamente vulnerável impactando negativamente em seu desenvolvimento.

Diante desta realidade o projeto tem como objetivo impactar este contexto dando oportunidade aos participantes de perceber que existem outras possibilidades de convivência, o olhar para o outro com mais respeito e dignidade.

Coletivo Fora de Frequência

O Coletivo Fora de Frequência visa fortalecer e difundir o Hip Hop através da promoção dos seus elementos e do estudo de sua história, com intuito de resgatar suas origens e enfatizar seu papel político na sociedade. Para isso, desenvolverão eventos gratuitos no Centro Cultural Mocambo aos moradores da comunidade agregando os cinco elementos da cultura Hip Hop (DJ, MC, Breaking, Graffiti e o Conhecimento) tais como: rodas de conversa, oficinas culturais, contratação de artistas e arte-educadores e produção musical de artista locais a preços populares.

Também têm o objetivo de resgatar as origens do Hip Hop e enfatizar seu papel político na sociedade, estimulando a interação entre comunidades e seus artistas, facilitando a fruição artística e a distribuição de renda valorizando profissionais do Hip Hop e contribuindo na profissionalização de MCs, B.boys/girls, DJs, Grafiteiros/as e profissionais que fazem parte da cadeia produtiva do segmento.

Batuquedum

O Projeto Batuquedum busca oferecer e compartilhar com a comunidade local e seus habitantes: crianças, adolescentes, jovens, famílias e mulheres, ações que promovam o acesso e interesse pela cultura através de oficinas. Também tem como objetivo promover agentes culturais, sem dar chance as drogas e a marginalidade pois, ao se incentivar a cultura, trabalha-se a construção de uma identidade, a educação e mostrar que existem ótimos caminhos para a vida.

As oficinas terão temas variados como: ações afirmativas (raça, gênero, juventude preta e periférica, cidadania, ética, etnocentrismo sexualidade, drogas), economia criativa e solidária, arte e cultural (capoeira angola, danças descendentes, percussão musical, cantigas, contação de histórias), meio ambiente & sustentabilidade, desenvolvimento comunitário e institucional: encontros familiares e comunitários, dentre outros.

Ceariba Mirim

O Projeto Ceariba Mirim é um alicerce na comunidade do Real Parque onde, aos Domingos, o futebol traz a certeza de acolhimento, cooperação e amizade-cidadã. As experiências e os aprendizados nesse dia têm impacto direto na vida familiar e na vida da comunidade, na medida em que traz um outro olhar para as relações de modo geral.

Para 2020 há perspectiva de mudanças para o Projeto. Através da tutoria e da conciliação, será possível sair da quadra de futebol e, oficialmente, entrar nas casas, nas escolas, nas ONGs de contra-turno escolar e, por fim, criar uma espiral de virtuosidade de cooperação, de empatia e de ética no agir. Com tutoria, as crianças teriam em seus pares sua fonte de confiança, não apenas para os problemas de Matemática e Português, mas para a vida. Da mesma forma a conciliação. As crianças levariam para a vida o olhar e o escutar antes de opinar e julgar. Conceitos fundamentais para a vida em uma sociedade plural.

Megê Design

A proposta do Megê é oferecer três mini-cursos gratuitos de montagem de tecnologias sustentáveis que visam melhorar desafios como: o mau uso da água, o lixo nas ruas e córregos assim como o desperdício e a má gestão de energia, dando autonomia e ferramentas para que se construa uma educação que se preocupe com o destino do nosso lixo, o tratamento da nossa água e outras alternativas para a geração de energia na região.

Esses mini-cursos serão gratuitos e tem a intenção de promover a interação da comunidade com as soluções desses problemas e serão divididos em três formações: Montagem de Biodigestor, Montagem de Cisterna e Montagem de Energia Solar. Além disso, em cada formação serão selecionados dois participantes para que tenham uma dessas tecnologias aplicadas em suas casas. Uma ação direta na comunidade tem o potencial de ser multiplicado para o restante da região.

Interferência

O projeto EduCapão tem como objetivo promover oficinas de educomunicação para desconstruir estereótipos e criar novas narrativa. Tem a missão de aproximar os educandos dos conceitos da política e cidadania, por meio de técnicas de comunicação, tornando-os mais conscientes sobre seus direitos e deveres. Sua execução se dará como continuidade de um projeto apoiado em 2019 pela Fundação ABH, que teve como objetivo introduzir técnicas de jornalismo para 20 crianças e adolescentes matriculados regularmente na grade de atividades da ONG Interferência.

Além da relevância particular, há uma importância social latente no projeto, uma vez que o Capão Redondo é um dos mais frágeis e populosos distritos de São Paulo.

Coletivo Troupé na Rua

O Coletivo Troupé na Rua leva alegria, auto conhecimento e entretenimento através do circo para a periferia. Com oficinas e apresentações circenses, desenvolve-se resiliência e paciência em crianças, jovens e moradores locais que sofrem com falta de informação e diálogo. Essas crianças e jovens possuem sonhos que são esmagados pelas coisas as quais eles não podem ter. E isso é uma realidade um tanto dura de conceber.

O coletivo trabalha esses desafios através da arte, da cultura e do esporte e capacita jovens para também fazerem parte do circo.

E-Bairro

O E-bairro é uma plataforma online que serve como uma vitrine para a venda de produtos produzidos pelos empreendedores locais com objetivo fortalecer o capital social do território. Além do e-commerce, articula também oportunidades de venda off-line com a participação em eventos e feiras assim como oportunidades de formação e trocas.

O Jardim São Luís tem movimentos culturais em sua história que possibilitaram a criação de produtos e serviços culturais que são a marca dessa localidade. É muito difícil para o empreendedor periférico cuidar da produção, da gestão do negócio, da contabilidade; é preciso trazer pra ele alternativas de fomento e de arranjos econômicos. A proposta contribui para o desenvolvimento local, pois abre canais de venda e de visibilidade dessas produções periféricas culturais para o próprio bairro e entorno em que estão inseridas e também para dentro e fora do país.

Felicinema

O Felicinema tem como objetivo oferecer aos moradores da Favela da Felicidade no Jardim São Luis atividades culturais de diversas linguagens para potencializar o indivíduo e o coletivo com atenção para cuidado pessoal, territorial e intelectual podendo proporcionar transformações muito além das expectativas.

Com a projeção de cinema infantil e apresentação de documentários, os participantes discutem com profissionais de diferentes áreas as problemáticas inseridas na realidade pessoal e social da comunidade visando desenvolverem uma leitura crítica da realidade e seus desafios e potencializar a ação conjunta de seus moradores.

Projeto Kabuto

O Projeto Kabuto foi criado com o intuito de fazer a inclusão social de crianças carentes através do esporte, mostrando a elas caminhos alternativos que honram com princípios sociais e que lhes proporcione grandes crescimentos, tanto pessoal quanto profissional.

Inicialmente um projeto de karatê para crianças e jovens das comunidades do Campo Belo, hoje oferece também outras modalidades como jiu jitsu, futsal, aulas de músicas e ciência criativa.

Decálogo JALC

A Cia de Artes Decálogo Jalc, através do projeto Labutas Lúdicas, tem como objetivo levar peças teatrais, tanto de palco, de rua e de formação como de números circenses, para produzir ações multiculturais, tais como sarau a mostras de trabalho em modalidades fixas e itinerantes para a região do Jardim Ângela, onde as opções de cultura e lazer são escassas.

Arte na Q’Brada

O projeto “Ser.Comun” aposta no jovem como indutor de mobilização e transformação social. Para isso, é fundamental que ele domine os códigos da modernidade, outras habilidades no plano da sociabilidade, da ampliação de seu repertório cultural e da fluência comunicativa.

Tem como missão contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população da região do Morumbi, por meio de um processo de desenvolvimento comunitário que prioriza o jovem.  O projeto oferecerá oficinas de dança sertaneja com o objetivo de ampliar o universo cultural e informacional dos jovens, estimulando a criatividade e aprofundando competências estéticas e artísticas.

Projeto Aquilombarte

O Projeto Aquilomb_arte  tem a missão de minimizar a carência dos índices de precariedades territoriais apontados no mapa da desigualdade articulando esporte, cultura e informação no atendimento à comunidade do Jd. Ângela e entorno.

A proposta consiste em utilizar um espaço já referenciado para práticas de capoeira e realizar oficinas de capoeira (crianças e mulheres), pintura, artesanato (terceira idade), corpo movimento e expressão (adolescentes), além de oficinas circulantes de palestras e trocas de idéias sobre saúde & bem viver e prevenção à vida da mulher. O impacto se dá na criação de identidade, auto estima, qualidade de vida saudável, agrupamento de pessoas, acolhimento e superação de desafios.

Rádio Comunidade

A Rádio Comunidade surge como um canal de luta para democratização da informação, além de preparar jovens para ambientes de comunicação direcionando-os ao autocontrole e autoconhecimento por meio da experiência de estarem realizando uma comunicação ao vivo, além de interagirem com equipamentos de tecnologia não acessíveis a grande parte da população.

Tem como objetivo oportunizar a difusão de ideias e iniciativas de moradores de maneira gratuita em um espaço profissional, além de divulgar e propagar músicas de artistas periféricos e grandes eventos da região. Atuando diretamente na divulgação social de atrações culturais da região, realizar parcerias com escolas e Unidades Básicas de saúde para divulgar eventos de importância para jovens e população.

Trançamor

O objetivo do Trançamor é que a comunidade se interesse em fomentar seus próprios bairros, se profissionalize na área da estética e incentive a economia solidária e criativa aproveitando para fomentar a cultura através dos seus empreendimentos.

Assim, o Trançamor desenvolverá oficinas e aulas de trança penteados afro periféricos e barbearia visando valorizar cultura negra e melhorar a auto estima, principalmente de mulheres negras, que muitas vezes têm receio de assumir suas características. Outro propósito é de dar oportunidades de um novo ofício para moradores da comunidade. Tudo isso atrelado ao incentivo da economia solidária e criativa regional, expondo e vendendo produtos de empreendedores locais.

Educação Financeira

Não é segredo que, nos dias de hoje, observa-se falta de orientação financeira e econômica na população de maneira geral, aonde os cidadãos gastam o que ainda não receberam para pagamento futuro e não conseguem planejar os próprios gastos, muito menos poupar. Essa realidade é ainda mais dura para a população de baixa renda que, acabam se endividando e gastando o pouco que recebem com juros altos e entram para a lista de inadimplentes.

Pensando nisso, o Projeto Economia Financeira visa orientar adolescentes e suas famílias sobre como gerir, organizar e otimizar seus recursos. Por meio de palestras e dinâmicas de grupo, exemplos práticos serão apresentados e debatidos para  aprimorar o entendimento sobre o tema e criar continuidade de condições para as gerações futuras no longo prazo.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!