Projeto Comunidade Saudável (ano 5)

2019

logo

Galeria de Fotos

O CPCD

O CPCD é uma organização não-governamental, fundada em 1984 pelo educador e antropólogo Tião Rocha, em Belo Horizonte/MG, para atuar nas áreas de Educação Popular de Qualidade e Desenvolvimento Comunitário Sustentável, tendo a Cultura como matéria prima e instrumento de trabalho, pedagógico e institucional.

Sua missão é ser uma instituição em permanente aprendizagem nos campos da Educação e do Desenvolvimento, tendo a Cultura como matéria-prima e instrumento de ação.

Desde 1984, o CPCD se dedica à implementação e realização de projetos inovadores, programas integrados e plataformas de Transformação Social e Desenvolvimento Sustentável, destinados, preferencialmente, às comunidades e cidades brasileiras com menos de 50 mil habitantes onde vivem mais de 90% da população brasileira.

O CPCD e a Fundação ABH firmaram uma parceria para dar início ao Projeto Sementinha na Chácara Santo Amaro (distrito de Grajaú) em São Paulo.

Projeto Comunidade Saudável

Objetivos do Projeto:

Contribuir com a transformação de São Nicolau e Novo São Norberto em comunidades saudáveis, tendo os 16 princípios da “Carta Terra”, como os norteadores de todas as ações.

Os objetivos específicos são:

  • Realizar o IPDH (índice de potencial de desenvolvimento humano) da comunidade: leitura dos saberes, fazeres e quereres da comunidade;
  • Identificar e mapear os “pontos luminosos” (humanos, sociais e culturais) da comunidade, ao longo do projeto;
  • Formar, técnica e eticamente, um time de Agentes de Desenvolvimento de Comunidades Saudáveis / ADCS;
  • Construir com este time um PTA (Plano de Trabalho e Avaliação);
  • Implementar as ações previstas no PTA e promover as atualizações necessárias, ao longo do projeto;
  • Construir com os ADCS e a Comunidade as MDIs (Maneiras Diferentes e Inovadoras), ao longo do projeto;
  • Implementar o sistema de monitoramento (MPRA) dos processos, impactos, produtos e resultados de aprendizagem e das ações realizadas, trimestralmente ao longo ao projeto;
  • Mensurar os indicadores de qualidade de projetos sociais (IQPS) ao final de cada ano.

Metodologia:

Desde o início das atividades nos territórios, buscou-se identificar, mapear e aprender os IPDHs – “Indicadores de Potencial de Desenvolvimento Humano” – existentes em São Nicolau e Novo São Norberto.

Para isto reunimos em cada território/comunidade, de forma articulada, integrada e solidária o trinômio:

  1. Recursos locais humanos e potenciais – o lado cheio do copo, capazes de produzir AÇÃO: Acolhimento, Convivência, Aprendizagem e Oportunidade. Olhar a comunidade não por suas carências, mas pela sua potencialidade é construir um novo paradigma, um novo jeito de olhar, pensar e atuar. Aprender os “pontos luminosos” e transformá-los em “feixes de luz e calor” é o compromisso profissional dos ADCS (Agentes de Desenvolvimento de Comunidades Saudáveis), juntamente com as lideranças e parceiros que vem integrando a plataforma.
  2. Participação e comprometimento do time e das comunidades envolvidas em todas as etapas – apreensão, consolidação e devolução de processos, impactos, produtos e resultados das atividades diversas, gerando o empoderamento comunitário, alicerce de todas as ações programáticas e da construção de autonomia. Para isso é importante o investimento permanente de energias e recursos na formação do time e das instituições parceiras, garantindo aprendizes permanentes, provocadores de mudanças, criadores de oportunidades, promotores de generosidade e cidadania, construtores de pessoas e comunidades saudáveis.
  3. Pedagogias educacionais – (Roda, Brinquedo, Abraço, Sabão e Copo Cheio), as tecnologias sociais (Plano de Trabalho e Avaliação/PTA, Monitoramento de Processos e Resultados da Aprendizagem/MPRA, Indicadores de Qualidade de Projetos Sociais/IQPs e Maneiras Diferentes e Inovadoras/MDIs), além de produtos educacionais reconhecidos (Algibeiras de Leitura, Bornais de Jogos Pedagógicos).

Evolução do Projeto:

Ampliação do Território – Novo São Norberto

O envolvimento e o reconhecimento local no bairro Novo São Norberto, foi retomado numa roda de conversa com a presença da vice-presidente Célia e a presidente Mauristela da Associação local, as Agentes Comunitárias de Saúde Adriana e Daniela e sete moradoras locais. Na roda falamos sobre a proposta do Projeto e foram entregues as fichas para a inscrição das crianças.

No mês de março de 2018 intensificamos a mobilização comunitária com visitas às casas de moradores e completamos as inscrições com apoio da educadora Gláucia, moradora do bairro incorporada na equipe do Projeto. Durante esse percurso, o que mais nos chamou atenção, foi o interesse, a abertura e simpatia dos moradores. Iniciamos as atividades com os moradores adultos com a tinta de terra, grande aliada da nossa mobilização, pois desperta curiosidade e admiração de todos.

A proposta do Grupo Sementinha tanto no Novo São Norberto, como no Jardim São Nicolau é o trabalho pedagógico e lúdico com crianças a partir dos 4 anos de idade. A demanda real de ambas comunidades foi de ampliação da faixa etária para além dos 6 anos de idade, até então proposta pelo Projeto. Hoje há crianças com até 13 anos. As atividades no Novo São Norberto acontecem nas segundas, quartas e sextas-feiras das 8h30 às 11h00 com apoio local e cessão da sede da associação local, com frequência média de 22 crianças.

Envolvimento e Mobilização das Famílias e das Comunidades

Em 2019 iniciamos o ano finalizando as 14 entrevistas para o IQP (Índice de Qualidade de Projeto) com a equipe e comunidade. O IQP foi feito com as cinco educadoras, cinco crianças mais frequentes no Projeto Comunidade Saudável e quatro pontos luminosos, moradores que nos deram total apoio no ano de 2018.

Do São Nicolau, Sr. Adelino esteve conosco durante semanas dando oficina de capoeira, Juliana deu bastante apoio nas confraternizações e inclusive no momento de autocuidado com a equipe, Cássia aprendeu com a equipe a pintura com tinta de terra e hortas verticais e têm aplicado em casa, além de dar dicas e opções de artesanatos feitos com materiais recicláveis.

Do Novo São Norberto, Wagner participou bastante das pinturas com tinta de terra e inclusive alguns mosaicos feitos foram criação dele. Do Grupo Sementinha, Luciano é o mais velho e tem participado bastante. Ana Clara foi destaque em relação à leitura e rodas de conversa. Vitória desenvolveu bastante a leitura este ano. Othávio e Mikaelly têm grande frequência no Projeto e são muito participativos.

Visitas domiciliares também foram feitas para inscrição do Grupo Sementinha, informes sobre o retorno do grupo e cronograma de atividades das práticas de permacultura.

RESULTADOS FINAIS:

Após 3 anos e meio, o projeto que se iniciou como Sementinha para crianças entre 3 e 5 anos no bairro Chácara Santo Amaro em Parelheiros e se transformou no Projeto Comunidade Saudável nos bairros de São Nicolau e Novo São Norberto, também em Parelheiros, para toda a comunidade chegou ao fim. Muitas foram as conquistas! Confira o resultados alcançados!

Indicadores Quantitativos:

  • 20 sessões de cinema para crianças e adultos
  • 27 Formações continuadas do time pelo Projeto e parceiros
  • 10 Reuniões de Rede (Centro Criança e Adolescente – Auri Verde, UBS Chácara Santo Amaro, Associação de Moradores, Escola Hermínio Sacchetta, Secretária Municipal do Verde e Meio Ambiente)
  • 80 Crianças Escola Hermínio Sacchetta dos 1º, 2 º, 6º e 7 º anos • 65 Crianças no Grupo Sementinha
  • 893 Atividades desenvolvidas com as crianças e adultos de brincadeiras, confecc1ão de brinquedos, mediação de leitura, jogos do bornal, capoeira, alimentação saudável, permacultura, produtos de limpeza, hortas, entre muitas outras
  • 03 reuniões com a comunidade Novo São Norberto com o time do projeto, gerente e agentes de saúde
  • 02 reuniões com a comunidade Jd. São Nicolau com o time do projeto e agentes de saúde
  • 21 IQP’s de educadores (2017), de educadores, moradores e crianças (2018)
  • 24 Rodas de Planejamento mensais com a equipe
  • 4 Encontros Oásis com mobilização da comunidade adulta, jovem, infantil e intervenções na Parada Obrigatória, Ponto da D. Dida e Escola Hermínio Sacchetta
  • 2 Sarau (CCA)
  • 2 Feiras Culturais
  • 3 Passeios Educadores e crianças para o Auditório do Ibirapuera assistir Roda que Rola com os Meninos de Araçuaí e Ponto de Partida, para o Fórum Fale Sem Medo organizado pelo Instituto Avon, para o Sesc Interlagos para o evento Pétala por Pétala

Indicadores Qualitativos:

  • Educadoras comprometidas com a causa
  • Equipe integrada em harmonia
  • Crianças melhorando nas relações de convivência
  • Carinho e respeito das crianças pelas educadoras e vice-versa
  • Lanche mais saudável para as crianças, incluindo frutas
  • Doação de frutas pela comunidade para o lanche das crianças
  • Pais satisfeitos com o que o Projeto tem proporcionado para as crianças
  • Adesão da Comunidade do Novo São Norberto
  • Adesão às práticas de permacultura e às oficinas no Jardim São Nicolau
  • Interesse de ambas as comunidades nas atividades com as crianças e com os adultos
  • Participação das comunidades nas atividades
  • Elogios e respeito de moradores pelo Projeto
  • Demanda de mais oficinas comunitárias
  • Parceria e ações conjuntas com a Unidade Básica de Saúde Chácara Sto. Amaro
  • Parceria com o Centro de Educação Infantil São Norberto – CEI (creche)
  • Diminuição do lixo na rua da sede do Projeto
  • Fachadas de casas embelezadas com tinta de terra
  • Novas atividades propostas em rodas e formações para o Grupo Sementinha
  • Hortas e jardins feitos em pneus, que são jogados ao longo da rua Tadao Inoue
  • Jardim do Projeto inspirando moradores a reciclar e plantar em casa.

Desafios & Reflexões:

Em todo o processo o maior desafio foi a mobilização das comunidades. Alguns moradores se mostraram muito desconfiados no início, mas aos poucos foram sendo construídos vínculos e relações de confiança. Com os serviços públicos como a Unidade Básica de Saúde, por meio de seus Agentes Comunitários, o Agente de Proteção Ambiental, os médicos, enfermeiras e gerentes que conhecemos nesses tempos, foram boas trocas e aprendizados, incluindo intervenções para valorização do território. Com a EE Hermínio Sacchetta, da direção à coordenação pedagógica, dos professores às crianças de 6 a 8 anos, todos conheceram e brincaram com os jogos dos bornais.

As algibeiras e os livros também circularam por esses espaços, pelas ruas, pelas sedes da associação e do Projeto. Outro desafio foi trazer para as rodas, para os cotidianos dos moradores, para os eventos em que participamos, a importância do cuidado com o meio ambiente, com o plantio de hortas sem veneno, da pintura com tinta de terra, do aproveitamento de alimentos e do aprendizado e manuseio de alimentos mais saudáveis.

Mais do que isso, aprendemos a olhar a potência de cada um e de cada uma e do coletivo. Com o tempo, pontos luminosos foram surgindo, aderindo à nossa proposta, oferecendo seus saberes, colaborando no cuidado com as crianças. Desde os primeiros dias nessas comunidades, as descobertas foram intensas e significativas. Durante o nosso percurso tivemos momentos de comunhão, amorosidade, produtividade e transformação. Descobrimos a satisfação e a alegria de fazer parte dessa história.

O Comunidade Saudável provocou mudanças positivas no território, reconhecimento, potencialização e empoderamento do time, das crianças e das comunidades. Todos os envolvidos tiveram oportunidades de transformação. Quem entrou numa roda saiu diferente. Novos sonhos e desejos passaram a existir. Individuais e coletivos.

Depoimentos

“Me importo muito com a comunidade. Vejo que a capoeira se vincula muito com a educação e coletividade das crianças, pais e educadoras.” Adelino Bueno – morador

 

“Gosto muito de encontrar com as outras equipes, pois sempre saímos da roda com um novo conhecimento. Saber que posso contribuir me deixa feliz.” Amanda Martins – Educadora

 

“Hoje fomos pela primeira vez em uma rua adotada. Tinham muitas pessoas para ajudar a mobilizar uma rua. Cada um tinha a sua tarefa para fazer e juntos conseguimos mudar uma rua. Ficou muito lindo! Cada pessoa aprendendo e fazendo da sua maneira. Deu outra cara para a rua!” Georgia Domenica – Educadora

 

“Nem dá pra acreditar que todas essas cores são de barro e que transformam uma casa. Como a paisagem ficou bonita e diferente! Não precisa de muito dinheiro pra tornar o lugar maravilhoso.” José Alex – morador

 

“No jogo Caça- Palavras, o Guilherme de 6 anos teve uma determinação incrível, não deixou ninguém tirar as letras da mesa até ele escrever todas as palavras.” Alessandra Rosa – Educadora

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!