Plataforma Potências Periféricas conecta periferias a investidores sociais

A Plataforma Potências Periféricas será um espaço para fomentar a sustentabilidade das periferias, promover encontros e qualificar ainda mais as doações no país e tem como objetivo principal fazer um “match” para que as periferias e financiadores possam se encontrar com base na compatibilidade entre eles e assim criar conexões de confiança e duradouras.

O projeto, que já era uma ideia antiga das organizações realizadoras, nasceu a partir de um encontro durante a Rede de Trabalho de Grantmaking do GIFE em dezembro de 2019. De lá para cá, um grupo de trabalho foi criado com atores periféricos juntamente com investidores do campo social. E em 2020 a ideia foi finalista do edital do Fundo BIS.

Assim nasceu a Plataforma Potências Periféricas, fruto do esforço e empenho da Rede Potências Periféricas, do Instituto Jatobás, das Fundações ABH e Tide Setúbal. Contou também com o apoio da L9 – Estúdio Criativo e da Kiria Web. Foram quase 2 anos de muito trabalho ao lado de pessoas incríveis, e mais incrível ainda é o fato de tudo ser desenvolvido de maneira remota durante a pandemia, pois parte da equipe não teve a chance de se conhecer pessoalmente.

“Desde sua criação a plataforma é um encontro poderoso de pessoas da periferia e das suas histórias de resistência e criatividade. Esta ferramenta permite, por exemplo, que um jovem que toca um projeto de agroecologia e hortas comunitárias no extremo leste da cidade de São Paulo possa se conectar com a coordenadora de um grande instituto que invista nesta causa. E por outro lado, queremos que uma Fundação possa buscar em um único lugar diversos projetos das periferias que tem o objetivo de alcançar a igualdade de gênero utilizando os filtros das ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, por exemplo”, relata o coordenador de comunicação e mobilização da Rede Potências Periféricas, Bernardo Carvalho.

 

Inovação

Atualmente, os dados sobre organizações e projetos que atuam nas periferias estão descentralizados e, por isso, a ideia é transformar a plataforma em uma comunidade relevante de encontros entre essas iniciativas e o investimento social privado para criar melhores relações com grantmakers (investidores), além de trazer informações relevantes e transparentes sobre todos.

“Como investidora do campo social, tínhamos dificuldade de identificar iniciativas, principalmente as informais, que compõem o ecossistema e estabelecer diálogos com elas. A plataforma torna visível o que era invisível: a imensa potência de atores periféricos! Esperamos que ela aproxime pessoas e iniciativas, facilite conexões e, principalmente, permita que investidores tenham um contato direto com as potências, desenvolvendo relações de confiança e facilitando o investimento social em ações periféricas”, enfatiza Marina Fay, Diretora Executiva da Fundação ABH.

 

Protagonismo e cuidados

A Plataforma Potências Periféricas teve a preocupação com a segurança digital durante todo o seu processo de desenvolvimento. Antes da inserção dos filtros que servem como base para os matchings (encontros), foram feitas pesquisas, conversas e encontros com mais de 90 potências e 35 financiadores, que avaliaram e sugeriram modificações. Além disso, a plataforma contará com uma equipe dedicada que terá como objetivo principal fazer toda a gestão, suporte e resolução de desafios que possam surgir no dia a dia.

● Inscreva-se no link para mais informações e pré-cadastro na plataforma:

Não fique de fora dessa!!!

Deixe seu comentário

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!