Felicinema: a cultura como meio de transformação social

É inegável a importância da cultura dentro da nossa sociedade; ela possui um papel fundamental para o desenvolvimento do ser humano.

Com o objetivo de investir nesse bem precioso, o arte educador e grafiteiro Zirmalei, mais conhecido como ‘’Zizi’’, idealizou o Felicinema.

O projeto, que surgiu em 2017, visa facilitar o acesso à arte e cultura para os moradores da Favela da Felicidade, localizada no bairro do Jd. São Luís, na periferia sul de São Paulo. 

“Sou as 1001 utilidades dentro do projeto, iniciei por causa da carência de acesso, ações e atividades de arte e cultura, acreditando na transformação através da arte”, explica o artista.

Neste texto você vai conhecer a jornada de Zizi para dar vida ao Felicinema e ao Espaço FelicidArte, bem como conferir a trajetória dessa iniciativa e saber mais a respeito da parceria estabelecida com a Fundação ABH sempre em prol do desenvolvimento comunitário da zona sul da capital paulista.

Nasce o Felicinema

O principal objetivo do Felicinema é fornecer atividades culturais de diversas linguagens, visando potencializar não só um indivíduo, mas o todo, chamando a atenção para o cuidado pessoal, territorial e intelectual.

É por meio das projeções de filmes infantis, além de apresentações de documentários, que se tenta combater os problemas que existem na comunidade, convidando os moradores a fazerem uma leitura crítica da realidade.

Dessa maneira a arte se torna um objeto transformador para atribuir valores, disciplina e identidade, não só para as crianças, mas para toda a comunidade.

Zizi deixa bem claro que uma das suas principais inspirações para criar o Felicinema está dentro da sua casa: “São meus filhos, porque estando dentro do território, não adianta eu alimentá-los de outras informações que não chegam até o território se as pessoas que irão crescer junto a eles terão influências negativas e possivelmente irão influenciá-los, além de outros motivos pertinentes aos territórios periféricos.” 

O projeto é bem visto dentro da Favela da Felicidade. Mesmo diante dos problemas e dificuldades, Zizi acredita na ação e busca sempre ajudar no que for preciso. Um grande exemplo desse apoio, foi a comoção e o engajamento  da comunidade no primeiro dia do Felicinema, do qual o fundador se orgulha muito.

“Foi emocionante, uma hora antes do horário marcado para iniciar a sessão, as crianças que moram próximas do espaço já estavam no portão se oferecendo para ajudar na organização dos tapetes e algumas trazendo recado dos pais e responsáveis, que iriam doar pipocas e refrigerantes e, se precisasse, viriam para ajudar a estourar e distribuir as pipocas e refrigerantes”, relatou.

 

Espaço FelicidArte

De início, o Felicinema ocorria nos becos da Favela da Felicidade, a céu aberto e sofria com as interferências sonoras, além de fatores climáticos que impediam a sua realização. Para que não houvesse mais barreiras, Zirmalei decidiu reformar sua casa; subiu duas lajes e criou o Espaço FelicidArte.

O local tem por objetivo trazer mais segurança, conforto e lazer para os moradores da comunidade, tanto durante as exibições como também para o desenvolvimento de outras atividades, como as aulas de ioga que acontecem todas às segundas-feiras.

O Espaço FelicidArte é o primeiro espaço físico, em 50 anos, dentro do bairro. “É uma grande vitória!” afirma Zizi. No entanto, para ele as atividades realizadas no espaço ainda não são o suficiente. A ideia é que o Espaço FelicidArte ganhe cada vez mais modalidades  para além do Felicinema e se transforme em um polo cultural no bairro.

“A longo prazo o objetivo é finalizar estruturalmente o Espaço FelicidArte, conseguir estabilidade financeira através das ações promovidas no espaço, conseguir um financiador para continuar e ampliar as atividades semanais como, por exemplo, Artes visuais e plásticas, além da aquisição de alguns equipamentos”, explica Zizi.

A cada passo que o Felicinema dá, é um sonho que se materializa para o fundador, que resume o projeto em apenas uma palavra: “Motivador”.

 

A Fundação ABH e o Felicinema

Nós da Fundação ABH somos gratos ao Zizi, ao Felicinema e ao Espaço FelicidArte pela parceria e por embarcar nessa jornada de trocas e aprendizado conosco e com nossos parceiros através do edital aTUAção PerifaSul, que ofereceu oficinas, mentorias e apoio financeiro para que iniciativas e lideranças locais pudessem se desenvolver e impulsionar o território em que atuam.

Além disso, a Fundação ABH idealizou o projeto PerifaSul 2050, com o qual Zizi contribui ativamente. Uma das ações sugeridas pelo grupo foi identificar e impulsionar os espaços culturais da região. 

“A periferia sul de São Paulo tem um grande potencial humano capaz de se movimentar e se unir para desenvolver o Brasil. Por isso, tudo que desenvolvemos tem sempre a participação de atores locais na sua concepção e desenvolvimento”, explica Marina Fay, Diretora Executiva da Fundação ABH.

O Felicinema é uma das iniciativas que a Fundação ABH apoia, pois trabalha para ampliar os conhecimentos das crianças e adolescentes da periferia através das artes e expandir o acesso da população à cultura.  

Ressaltamos que compactuamos e nos inspiramos nesse modo de pensar e fazer, pois, assim como o Felicinema, acreditamos que somente juntos somos mais fortes e que só com essa troca de experiências e vivências podemos transformar e desenvolver a região de dentro para fora.

Deixe seu comentário

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!