Junho Vermelho: estoques de hospitais da zona sul precisam de doações de sangue

Você sabia que o mês de junho foi instituído pelo Projeto de lei nº 205/22 como Junho Vermelho em decorrência a campanha de saúde pública para doações de sangue? A ideia é estimular ações de mobilização, sensibilização, incentivo e conscientização dos brasileiros sobre a importância da doação de sangue.

A conscientização e Campanha Junho Vermelho foi criada em 2015 pelo movimento Eu Dou Sangue. O mês não foi escolhido à toa, por conta das baixas temperaturas neste período do ano, os hemocentros registram uma baixa de doações e a ideia da campanha é trazer conscientização sobre o tema e homenagear doadores de sangue em todo o país. Junho Vermelho tem a função de incentivar o espírito solidário nas pessoas, mostrando que doar sangue é, acima de tudo, um ato de amor.

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) informou que os estoques do Hemocentro do Hospital São Paulo estão em situação crítica e que, para reabastecer os bancos, são necessários todos os tipos de sangue, em especial o O negativo. O agendamento pode ser feito das 8h às 17h30, de segunda a sexta-feira, pelo telefone (11) 5576-4240. Já a coleta de sangue funciona das 8h às 12h30, de segunda a sábado, na Vila Clementino,  zona sul de São Paulo.

O tema deste post foi escolhido, pois a Fundação ABH, em conjunto com atores comunitários da periferia sul de São Paulo, validaram três temas guarda-chuva que abraçam as principais questões cujos moradores consideram prioritários no PerifaSul 2050. Vida Digna & Bem Estar foi um dos macro temas levantados nas discussões, tendo como um dos subtemas a saúde.

Histórico da Transfusão de Sangue 

A transfusão de sangue é dividida em três períodos:

  1. A era pré-histórica, que vai até a descoberta da circulação sanguínea pelo médico britânico William Harvey, no início do século XVII.
  2. O período pré-científico, vai de 1616, ano da descoberta da circulação, até o início do século XX, quando o pesquisador austríaco Karl Landsteiner descobre o grupo sanguíneo ABO.
  3. O terceiro período, científico, começa com a descoberta de Landsteiner, chegando até os dias atuais.

Em seus estudos, Landsteiner percebeu que existia uma incompatibilidade sanguínea entre algumas pessoas e, quando ocorria a mistura de alguns tipos de sangue, ocorria a aglutinação. Landsteiner e sua equipe, então, classificou o sangue em quatro tipos: A, B, AB e O.

O primeiro banco de sangue surgiu em 1937, nos Estados Unidos. A Guerra Espanhola e a Segunda Guerra Mundial difundiram o uso do sangue preservado, como parte da rotina médica na utilização do recurso para salvar civis e militares feridos.

A importância da doação de sangue

A doação de sangue é um gesto solidário para ajudar, e às vezes salvar, a vida de pessoas hospitalizadas, que se submetem a transfusões, transplantes, procedimentos oncológicos, cirurgias, dentre outros. Também é indispensável para pacientes com doenças crônicas graves, além de ajudar feridos em situações de emergência ou calamidades.

Doação de sangue é um assunto sério que tem uma série de exigências para poder fazê-lo. Vamos conferir?

Quem pode doar sangue?

Para ser um doador, a pessoa precisa:

  • estar em boas condições de saúde
  • ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, precisa preencher um formulário de autorização)
  • pesar no mínimo 50kg
  • estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)
  • não fumar nas duas horas antes do ato
  • estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação)
  • portar o documento original com foto

Existem alguns impedimentos temporários, que são:

  • pessoas com resfriado, devem aguardar 7 dias
  • gravidez, 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana
  • amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses)
  • ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação
  • tatuagem e/ou maquiagem definitiva nos últimos 12 meses
  • situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses
  • qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia): aguardar 6 meses
  • extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação), impedido durante 7 dias
  • cirurgia odontológica com anestesia geral 4 semanas
  • acupuntura: se realizada com material descartável, 24 horas, se realizada com laser ou sementes, apto, se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses
  • vacina contra gripe 48 horas
  • herpes labial ou genital, apto somente após desaparecimento total das lesões
  • herpes zoster, apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster)

Impedimentos definitivos:

  • evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas
  • uso de drogas ilícitas injetáveis
  • malária
  • hepatite após o 11º aniversário: recusa definitiva
  • hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: recusa definitiva
  • hepatite por medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente
  • hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Respeitar os intervalos para doação. Homens têm 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses). Mulheres 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

Cuidados pós-doação:

  • evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas
  • aumentar a ingestão de líquidos (água)
  • não fumar por 2 horas
  • evitar bebidas alcoólicas por 12 horas
  • manter o curativo no local da punção por, pelo menos, quatro horas
  • não dirigir veículos de grande porte
  • não trabalhar em andaimes
  • não praticar paraquedismo ou mergulho
  • fazer um pequeno lanche e hidratar-se

É importante que o doador continue se sentindo bem durante o dia em que efetuou a doação de sangue.

Organizações que atuam em prol da Doação de Sangue

Em São Paulo, existem duas organizações que atuam em prol da temática de Doação de Sangue, são elas, a Fundação Pró-Sangue e Amor se Doa. A Fundação Pró-Sangue foi criada em 1984, é uma instituição pública ligada à Secretaria da Saúde do Governo do Estado de São Paulo e ao Hospital das Clínicas da cidade. Ela fornece sangue, hemocomponentes e serviços hemoterápicos, é voltada às áreas de medicina transfusional e terapia celular.

O Amor se Doa foi criado em 2018 por dois amigos de infância, com o intuito de incentivar as pessoas, através de campanhas, a doar sangue.

Vale lembrar que não só nessa época, mas é necessário e importante realizar a doação de sangue durante todo o ano. Em fevereiro deste ano, a Fundação Pró-Sangue alertou que passava por uma situação bem crítica e que os estoques de sangue estavam muito baixos.

O projeto Amor se Doa realizou uma ação no Shopping Campo Limpo incentivando os clientes e moradores da região sul a fazerem doações, devido aos hemocentros de São Paulo e região estarem com os estoques baixos em função dos reflexos da pandemia.

Onde posso doar sangue?

A Pró-Sangue possui 6 postos de coleta localizados em São Paulo, Guarulhos, Osasco e Barueri. Todas as bolsas de sangue coletadas nesses locais são direcionadas para a central, localizada no Hospital das Clínicas de São Paulo, onde são fracionadas e ficam aguardando liberação para serem distribuídas aos hospitais da rede pública estadual e demais instituições abastecidas pela Pró-Sangue.

Além dos postos de coleta, é possível realizar a doação em Hospitais e Hemocentros distribuídos pela cidade de São Paulo. Na Zona Sul especificamente, a doação pode ser realizada no Hospital Municipal Dr. Fernando Mauro P. da Rocha, em Campo Limpo, localizado na Estrada Itapecerica, 1661. De segunda a sábado das 8h às 13h (exceto feriados).

Conceitos e curiosidades sobre o tema

O sangue é um tecido vivo que circula pelo corpo, levando oxigênio e nutrientes a todos os órgãos. Ele é composto por plasma, hemácias, leucócitos e plaquetas.

As histórias envolvendo o sangue vem desde o ​antigo Egito onde era comum espalhar sangue de animais sacrificados, com a finalidade de aumentar a fertilidade do solo. Na antiga Grécia, os nobres bebiam o sangue de gladiadores mortos na arena a fim de obterem a cura de diversos males, entre eles a epilepsia. ​No período místico, era frequente guerreiros beberem o sangue de animais acreditando que poderiam adquirir a sua força, e atualmente, a prática é comum em algumas tribos na Tanzânia e Quênia, por exemplo. 

Você sabia que uma pessoa tem, em média, 25 bilhões de glóbulos vermelhos e que o sangue materno no útero, garante que o feto receba oxigênio e nutrientes?

Mas o que são glóbulos vermelhos e glóbulos brancos? 

Os glóbulos vermelhos (eritrócitos ou hemácias) são células sanguíneas que carregam hemoglobina. Eles são responsáveis pelo transporte do oxigênio dos pulmões para os tecidos e pela retirada do gás carbônico para ser eliminado pelos pulmões. Já os glóbulos brancos (leucócitos), são células sanguíneas originadas de células-tronco, responsáveis pela defesa do nosso organismo contra agentes infecciosos como vírus ou bactérias.

Outro dado importante é que uma pessoa tem entre 7% e 8% de volume de sangue em relação ao total de seu peso. Uma criança pesando 30 kg tem, aproximadamente, 2,19 litros de sangue, enquanto uma pessoa adulta tem, em média, 5 litros de sangue no organismo.

A cada doação de sangue realizada, o máximo de sangue retirado é de 450 ml e o organismo repõe o volume de sangue doado nas primeiras 72 horas após a doação.

Gostou do assunto?  Que tal fazer parte dessa corrente do bem e doar sangue também? É rápido e fácil! Procure um posto de coleta mais próximo a você e colabore!!!

Deixe seu comentário

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!