As habilidades do ator de transformação nas comunidades

Nos dias atuais muito se fala em liderança de qualidade, mas você realmente já parou pra pensar na força que uma boa liderança exerce na vida de uma pessoa?

A Fundação ABH atua em projetos voltados à formação e desenvolvimento de lideranças e iniciativas na periferia sul de São Paulo. Um dos principais ativos da Fundação ABH é seu poder articulador com iniciativas locais, que tem como propósito impulsionar o desenvolvimento territorial sustentável por meio de ações baseadas no reconhecimento e valorização do papel das lideranças e ativos locais.

Liderança, o que é afinal?

Para o escritor, professor e consultor administrativo brasileiro, Idalberto Chiavenato, “Liderança é um fenômeno tipicamente social que ocorre exclusivamente em grupos sociais. Pode-se defini-la como uma influência interpessoal exercida numa dada situação e dirigida através do processo de comunicação humana para a consecução de um ou mais objetivos específicos”. (CHIAVENATO, 1994)

Algumas competências, consideradas necessárias para o profissional do futuro até 2025, ganharam destaque no relatório divulgado pelo Fórum Mundial de Economia em 2020, devido à instabilidade e à inclusão da automação e inteligência artificial no âmbito laboral. São elas: Aprendizagem e Estratégia; Pensamento Analítico e Inovação; Criatividade; Design e Programação de Tecnologia; Pensamento Crítico; Solução de Problemas Complexos; Inteligência Emocional; Raciocínio; Persuasão e Negociação, além da Liderança, tema escolhido para discutirmos.

O líder é o profissional que inspira, motiva e orienta pessoas, encontrando caminhos melhores para o sucesso de todos, oferecendo voz a novas ideias, adotando aprendizado contínuo e incentivando troca de conhecimento. É papel do líder o de criar novo valor organizacional e social com a tecnologia oferecida.

Nas periferias e comunidades, o líder é visto como uma figura importante, um espelho na vida das pessoas, em especial na vida dos jovens. Em um ambiente onde a criminalidade se faz presente, a liderança tem papel transformador.  Olhando para isso, hoje trazemos algumas reflexões sobre liderança comunitária, e algumas das competências que enxergamos como fundamentais para os líderes do futuro.

Tanto em relação aos líderes comunitários, quanto aos atores de transformação do futuro, podemos destacar algumas características e habilidades necessárias, como: autonomia, empatia, engajamento, missão e propósito, intelecto e conhecimento, confiança, negociação, flexibilidade, empoderamento, resiliência, integridade e transparência, visão tecnológica e inovação, feedback, além da visão de futuro clara e compartilhada. 

Vivemos uma era hiper tecnológica e, mais do que nunca, o profissional de alta performance deve alavancar suas características humanas para potencializá-las. Estamos em constante evolução e adaptação, estima-se que daqui há alguns anos essas habilidades já terão se alterado novamente. O futuro é incerto, porém, não é o lugar para onde estamos indo, e sim o lugar que estamos construindo.

Fundação ABH e sua atuação na formação de lideranças   

Desde o nosso primeiro edital, em 2019, trouxemos pilares inovadores para a formação das iniciativas e lideranças contempladas. Além de escutar suas necessidade sobre quais temas gostariam de receber formação ou aprofundar o conhecimento, também “provocamos” as lideranças a olharem para si e para as oportunidades que o território tem de somar esforços a fim de terem um olhar mais apreciativo e promissor sobre seu potencial. Antes de aportar recurso financeiro, também realizamos oficinas formativas como escrita de proposta, mensuração de resultados e orçamento, como foi o caso do aTUAção Perifa Sul.

Acreditamos que, para o líder realizar seu trabalho com excelência e para que a iniciativa cresça, ele precisa constantemente se desenvolver e buscar um aprimoramento intelectual e social. A liderança comunitária é um trabalho coletivo!

Em uma comunidade, a liderança surge com a necessidade de reivindicações, discussões e auxílio às pessoas que fazem parte do grupo para exercerem sua cidadania de modo ativo. O líder comunitário deve atuar em ações e junto à entidades para promover o desenvolvimento local olhando para as demandas e necessidades do seu entorno.

Os GTs Grupos de Trabalho do PerifaSul 2050 são exemplos de liderança comunitária e atores de transformação do futuro, onde pessoas se unem para discutir uma temática local prioritária em prol do bem comum.

E como desenvolver essas habilidades?

Existem as hard skills (aptidões comportamentais e capacidades técnicas), que são habilidades aprendidas por meio de cursos, treinamentos, livros, workshops, entre outros. Alguns exemplos de hard skills são: conhecimento de língua estrangeira, domínio de mídias sociais e habilidades tecnológicas. Já as soft skills (habilidades interpessoais) são competências relacionadas às aptidões pessoais para interagir com outras pessoas. Alguns exemplos de soft skills são: comunicação interpessoal, proatividade e capacidade analítica.  

É importante manter-se atualizado e apto a aprender. As qualidades do ator do futuro ou de um líder são desenvolvidas através da vivência e das ações realizadas no dia a dia. É preciso se colocar no lugar do outro e perceber que por meio de boas atitudes, podemos incentivar ou espelhar outras pessoas.

A Fundação ABH, acredita que o desenvolvimento comunitário local tem um grande poder transformador, principalmente quando envolvemos as lideranças locais nessa caminhada. Nossas ações são pautadas  no empoderamento, na confiança, na constante tentativa de pensar fora da caixa e trazer inovação para solucionar os complexos problemas que nos cercam e na visão de futuro compartilhada com o território.

Gostou? Conheça mais sobre nossos processos no nosso site e redes!

Deixe seu comentário

ASSINE NOSSA NEWSLETTER...para receber notícias e novidades!